Usar as auto-estradas para produzir energia?

I
Dois jovens cientistas portugueses estão a tentar dar novos usos aos nossos três mil quilómetros de auto-estradas.

Nos Estados Unidos da América, há anos que tem vindo a ser investigada a produção de energia mediante a colocação de painéis solares no pavimento de estradas - sem grandes perspetivas de algum dia vir a ser posto em prática.

Nomeadamente em Israel, já tinha sido investigada a produção de energia elétrica através do movimento de pressão da superfície de uma estrada à passagem de um automóvel (sistema de piezoeletricidade). O sistema funcionaria através de blocos com materiais cerâmicos suscetíveis de captar a energia mecânica do movimento. O custo muito elevado do sistema tornou-o, contudo, comercialmente inviável.

Em Portugal, dois jovens investigadores - Filipe Casimiro, de 24 anos, e Francisco Duarte, de 26 - têm vindo a desenvolver, na Covilhã, um sistema diferente (embora baseado na mesma ideia), designado Waynergy e centrado antes no sistema eletromagnético, mais vantajoso do que o piezoeléctrico.

Há alguns meses, os dois investigadores criaram um primeiro protótipo, concebido ainda para velocidades de circulação baixas (mediante a instalação de blocos, por exemplo, em passadeiras com lomba – por exemplo para fornecer energia a candeeiros públicos - ou em portagens de auto-estrada – possibilitando que toda a energia necessária para fazer funcionar uma portagem seja proveniente deste sistema), mas continuaram a investigar, no sentido da criação de blocos suscetíveis de gerar energia mesmo a velocidades elevadas, designadamene numa auto-estrada. A patente está já registada em Portugal.

O inovador projeto começou por vencer o concurso de ideias winUBI (Universidade da Beira Interior). No mês passado, os dois investigadores venceram o Prémio Inovação EDP Richard Branson (a escolha do vencedor foi feita pelo presidente da Virgin, Richard Branson), cujo valor monetário (50 mil euros) irá ser utilizado na criação de uma empresa (a Waynergy) através da qual pretendem colocar o protótipo no mercado. Na semana passada, foram premiados pelo ISCTE e pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), entre 95 candidaturas. O simples facto de terem sido finalistas deste último prémio trouxe-lhes potenciais investidores e clientes, estando já previstas instalações do sistema para os próximos tempos.

O único senão deste sistema é que só é viável desde que haja bastante movimento. Muitas auto-estradas portuguesas nunca virão, pois, a recebê-lo. Quanto às restantes, o movimento durará enquanto o preço dos combustíveis o permitir…

[Resta, claro, a hipótese de utilizar o sistema noutros locais, sendo que pode ser instalado mesmo em interiores, como centros comerciais]

Pequena reportagem do Biosfera sobre este projecto:
I

I

Fontes (além desta reportagem do Biosfera):
- artigo da Gazeta do Interior de 13/10/2010 "Inovação abre oportunidades a novas empresas da região"
- artigo do Expresso de 20/9/2010 "Waynergy vence prémio inovação Richard Branson"

28 comentários:

Micael Sousa disse...

O ideal seria utilizar energia eléctrica produzida nas estradas, sendo imperativo existir um sistema de armazenamento, para alimentar carros eléctricos.
Actualmente os carros eléctricos só têm uma desvantagem: a dificuldade em acumular a energia. Temos baterias, mas ainda são muito arcaicas para armazenarem a energia que necessitamos para o mesmo tipo de autonomia que permitem os combustíveis fosseis.
Havendo modo de abastecer directamente o veiculo através da estrada seria um modo de tornar o veiculo automóvel viável do ponto de vista energético, dispensando as pesadas baterias que hoje os limitam, devido ao peso, custo e por serem resíduos perigosíssimos quando em fim de vida.

Anónimo disse...

"Actualmente os carros eléctricos só têm uma desvantagem: a dificuldade em acumular a energia"

Micael, essa desvantagem é precisamente a mesma que os carros eléctricos tiveram desde a sua invenção em 1828. Por isso dizer «os carros eléctricos são maravilhosos, mas...» já não é novidade nenhuma. Por algum motivo a partir da invenção do motor de combustão no final do século XIX representou o declínio do domínio do carro eléctrico. E quase 200 anos depois continuamos sem resolver o problema.

Ana disse...

Pedimos desculpa pelo facto de o blogue ter estado inacessível à maioria dos leitores durante largos minutos. Perante ameaças recebidas, tivemos de suspender o acesso, de forma a ser possível, por um lado, identificar o autor das ameaças (e das injúrias) e, por outro lado, a salvaguardar o blogue. Não sabemos se vai ser tentado um ataque ao blogue. Se este vier a desaparecer, daremos notícias na nossa página do Facebook.
Entretanto, pela primeira vez neste blogue tivemos de introduzir o sistema de moderação de comentários. É pena fazê-lo a três meses do fim, mas não tivemos outro remédio.
Pedimos desculpa pelos incómodos causados.

Anónimo disse...

Meninas,metam uma password de 30 caracteres a ver se eles conseguem fazer alguma coisa ao blogue.
E queixa para a PJ ja seguiu?

O Provocador disse...

Como se alguém tivesse algum interesse em acabar com esta treta.
Andam as meninas com a a mania da perseguição...
Buuuuu....

Eles andam ai disse...

Isso é coisa do SIS!

"Eles" andam ai disse...

...ou do lobbie PS/Mota Engil!

Joana disse...

Caro anónimo das 0:02 (o mesmo autor dos comentários que tivemos de apagar): já foi identificado.

Alguma vez… disse...

Para identificarem quem quer que seja, teriam que pedir os dados à operadora, que só os pode fornecer por ordem judicial, caso contrário teríamos uma bela embrulhada…

Joana disse...

Repito: foi identificado (o titular do acesso à internet). De resto, não é o único. Outro conseguiu "entrar" no blogue ontem ao fim da tarde, aceder a cinco artigos que estavam prontos a publicar, enchê-los de palavrões e, mais tarde, apagá-los. Apesar das nossas cautelas, não é impossível que venhamos a ter de continuar o blogue noutro endereço, se o nosso "amigo" continuar a visitar-nos.

Anónimo disse...

Quanto muito o IP... porque se conseguiram dados privados do "titular do acesso à internet", então quem poderá estar em sarilhos são as meninas, juntamente com quem vos forneceu os dados!

Joana disse...

E porque é que presume que a identificação foi feita de uma forma ilegal? Não foi.

Anónimo disse...

E mais, se querem agir judicialmente contra alguém não podem apagar os comentários injuriosos; primeiro porque teoricamente é ilegal, a lei diz que quando há abuso da liberdade de expressão, compete aos tribunais decidir; depois porque… «ficam sem a prova»!

Anónimo disse...

Isto só prova que vivemos num país de ignorantes sem o mínimo de ética. Pobres pais deste imbecis. Andaram a criar um filho para se tornarem nisto. Ou provavelmente a culpa é dos próprios pais, que não souberam dar educação porque não a tinham.

Anónimo disse...

Anónimo das 11:31, vê-se logo que não possui conhecimentos, o que não é de admirar. Este blog não é apenas frequentado (infelizmente) por pessoas cultas. O blog é privado, por isso as responsáveis são livres de eliminar o que quiserem, principalmente se os comentários forem injuriosos. E além disso, com certeza que se deram ao trabalho de fazer uma cópia antes de apagar.
De novo lhe lembro que este blog é dirigido por pessoas inteligente e cultas para pessoas inteligentes e culta. O facto de você o frequentar já é por si uma contradição.

Anónimo disse...

E porque razão o facto de eu estar aqui a dar a minha opinião faz de mim uma pessoa «menos inteligente e culta»? Que eu saiba não o ofendi a si, nem a ninguém (o mesmo já não se poderá dizer do seu ignóbil comentário), simplesmente ofereci a minha opinião.
Que eu saiba, este blog está acessível ao público, assim como a possibilidade de comentar.

Joana disse...

Teria muito gosto de continuar esta conversa, mas não tenho tempo. As provas existem, não é por se apagar comentários que elas desaparecem. E apagar comentários injuriosos não é , obviamente, ilegal (aliás, por essa ordem de razões, naqueles programas de televisão que vivem das chamadas telefónicas dos telespectadores, se um imbecil qualquer aproveitasse a chamada para injuriar os autores do programa, a chamada não poderia ser cortada: tinha de se deixar o homem continuar a atividade criminosa!).

Aliás, nós temos até a possibilidade de recorrer ao sistema de moderação de comentários e publicarmos só os que quisermos (por exemplo, só os que dizem bem de nós), sem que se possa falar de "abuso de liberdade de expressão". Isto é um blogue privado e podemos até eliminar a possibilidade de comentários.

PS disse...

Lei n.º 109/2009, de 15 de Setembro, artigos 11.º e seguintes.

Anónimo disse...

Eu disse «teoricamente»...

Anónimo disse...

"E porque razão o facto de eu estar aqui a dar a minha opinião faz de mim uma pessoa «menos inteligente e culta»". Provavelmente porque esse tipo de opinião é apenas provocatório e completamente fora do âmbito do blog.
Por outro lado, as autoras são livres de escreverem o que quiserem, porque o blog é delas.
Outro tipo de comentários sem nexo e meramente provocatórios dos visitantes não são bem vindos, assim como os próprios visitantes.

Anónimo disse...

Joana, é a mesma coisa num jornal. Se eu mandar uma carta para um jornal, para ser publicada naquelas secções tipo "correio de leitores", o jornal não tem de a publicar, muito menos se for difamatória. Mas mesmo assim vocês não perdiam nada se pusessem um aviso no blog a dizer que se reservam o direito de eliminar ou não publicar comentários.

Anónimo disse...

«esse tipo de opinião é apenas provocatório e completamente fora do âmbito do blog»
...
As autoras é que começaram com a conversa da identificação dos visitantes, eu apenas refutei que, na minha opinião, tal era absurdo; a não ser que considere que era «mais culto e inteligente», e menos provocador, colaborar no bluff…

E já agora quem é Sua Excelência para considerar quem é aqui bem-vindo, e quem é indesejável?

Madalena disse...

E se for "bluff", que grande ajuda que você está a dar!! Acho que lhe agradecemos todos! É muito melhor visitar este blog e ler insultos e difamações. É muito mais agradável. Obrigada por incentivar esses indivíduos!

Anónimo disse...

Estava a pensar exactamente no mesmo, Madalena. Que grande ajuda!

Anónimo disse...

É o problema da democracia. Podemos sempre voltar atrás ao Estado Novo e ao bicho papão.

Anónimo disse...

Mudem-se para o SAPO, que a equipa técnica é super prestável, e está sempre disponível a ajudar. Se explicarem a vossa situação aqui: http://blogs.blogs.sapo.pt/ , certamente terão resposta e ajuda na transição.

Hugo

Anónimo disse...

"É muito melhor visitar este blog e ler insultos e difamações." Vocês sabem que nada é mais atractivo e prazeroso para o portuga do que ler desgraças, mal dizeres e coscuvilhices. Basta ver 5 minutos de um telejornal ou olhar para a capa de um jornal e perceber.

Para a maioria, o que é passado aqui é chato e não interessa a ninguém, por isso ficam felizes quando vêem alguém sem cérebro andar aqui a mandar bocas infantis.

Micael Sousa disse...

Lamentavelmente a maledicência e a simples vontade de implicar, criar dificuldades e o excesso de mediatização de assuntos acessórios leva a que actos e atentados contra o saber e a informação aconteçam. Que aconteçam e sejam visto como algo engraçado e um motivo de orgulho. Uma verdadeira tristeza intelectual.
Obrigado pelos vossos artigos sempre interessantes e pertinentes.
Não se deixam afectar por quem não merece. A liberdade só acontece com responsabilidade.