Oásis naturais nas auto-estradas?

I
Desde que tenham vegetação autóctone adequada, as bermas das auto-estradas «podem ser excelentes locais de biodiversidade» animal e vegetal, nas palavras de João Fernandes, Professor da Universidade de Évora.

Isto pode parecer surpreendente, mas é não é difícil explicar. As auto-estradas são caracterizadas por serem vias fechadas: vedadas em toda a sua extensão, nas suas bermas não circulam animais de grande porte, nem pessoas. Assim, e no que respeita à vegetação, neste pedaço de mundo natural quase isolado do exterior, as plantas que aqui crescem não são, nomeadamente, perturbadas pela presença animal ou humana (pastoreio, actividades agrícolas, pessoas a caminhar sobre as plantas, etc.), originando condições únicas para o seu desenvolvimento e permitindo, por exemplo, exportar para os campos vizinhos sementes que nestes não se conseguiriam desenvolver.

Nestas zonas cresce uma flora cuja riqueza é ainda muito desconhecida.

Na União Europeia, os especialistas reclamam a publicação de uma diretiva que obrigue as entidades gestoras das auto-estradas a plantar nas bermas plantas autóctones.

Sem esperar pela diretiva, o Governo francês decidiu recentemente renaturalizar 12 000 quilómetros de taludes de auto-estrada nos próximos três anos, mediante plantação, nas “bermas” de auto-estrada, de plantas autóctones, através das quais se pretende criar condições para que as abelhas e outros polinizadores se sintam bem no local e para que, por seu turno, estes polinizem as culturas agrícolas vizinhas.

E nesta nossa terrinha? Saiba mais nesta pequena reportagem do Biosfera [onde também podemos ficar a saber, por exemplo, que a plantação, nas bermas, de determinadas espécies arbóreas permite criar, em regra, barreiras sonoras mais eficazes (e muito mais baratas) do que aquelas estruturas feias que conhecemos, bem como filtrar a passagem de gases poluentes]:
I
I

26 comentários:

Anónimo disse...

E isto interessa a quem?

Anónimo disse...

A pessoas cultas e inteligentes. Por isso, arrede deste blog.

Anónimo disse...

o que aqueles responsáveis pelas auto-estradas e a sua clientela (como o anónimo das 11:09) óbvivamente nao sao!

Anónimo disse...

E que tal renaturalizar o que ficou morto com o asfalto removendo-o e deixando de haver auto-estrada ou reduzindo-a? Se calhar assim até deixavam de morrer animais atropelados por outros animais ainda mais crueis que decidiram separar-lhes os habitats apenas para poderem ir dar uma volta ao Shopping ou almoçar a 100 kms de casa...

Anónimo disse...

Não percebo, Joana. Então agora resolveu dizer bem das auto-estradas? Que desilusão!

Anónimo disse...

eh eh eh é o que eu dígo. este blog é só contradições

Anónimo disse...

O que ela quis dizer é que se já existem, dêem-lhes algum uso benéfico, mas nem isso atingem! Alôoo, está alguém em casa?

Anónimo disse...

pois pois não conseguem é admitir as contradições todas eh eh. foram apanhadas mais uma vez eh eh

Quem não se sente não é filho de boa gente disse...

«Alôoo, está alguém em casa?»
«...ignorantes sem o mínimo de ética. Pobres pais deste imbecis. Andaram a criar um filho para se tornarem nisto. Ou provavelmente a culpa é dos próprios pais, que não souberam dar educação porque não a tinham»
«este blog é dirigido por pessoas inteligente e cultas para pessoas inteligentes e culta. O facto de você o frequentar já é por si uma contradição»
«quando vêem alguém sem cérebro andar aqui a mandar bocas infantis»
ENTÃO MENINAS, E ISTO NÃO É OFENSIVO?

Anónimo disse...

as meninas tambêm não pertencem à classe de pessoas inteligentes e cultas eh eh

Catarina disse...

Deve andar aí um vírus no ar...

Anónimo disse...

E porque não hortas comunitárias nas bermas?
Eu não me importava de ter uma.

Anónimo disse...

"ENTÃO MENINAS, E ISTO NÃO É OFENSIVO? "
Pelo menos é verdade:)

Anónimo disse...

Esta então é muito inteligente, deve ser de pessoa culta, tipo estar a cavar a orta com camiões a passar a alta velocidade mesmo ao lado!

Mais um pormenor inteligente: "aí" e "no ar"...

Anónimo disse...

«Pelo menos é verdade:) »
Este é um comentário daquele que diz que, quando não há argumentos parte-se para a ofensa?

Great Jowled Cat disse...

Eu também aposto nessa do vírus. :)

Interessante, o post, para não variar.

Atchimm disse...

Santinho!

Anónimo disse...

As Scuts em pt:
http://www.youtube.com/watch?v=ArQbKEwaMGs&feature=player_embedded

Anónimo disse...

é a super bactéria... só pode!

Anónimo disse...

Muito interessante.

JT disse...

Caras autoras, a minha opinião é que estamos (leitores) a perder demasiada energia com comentários de gente incivilizada em vez de pensar em como poupar essa mesma energia. Dois ou três conseguem monopolizar tudo e cansar a muita gente. Além disso "contaminam" um possível debate, porque quem está de acordo com um argumento vosso, de tão escaldado que está de tanta parvoíce, acaba por tratar a todos os que discordam de vocês de forma desagradável. Sou leitor assíduo do vosso blog, e sei que o vosso interesse transcende agradar-me a mim em particular, mas se servir para alguma coisa, confesso que gostava muito de ver algum tipo de controlo nos comentários. Nada que tenha a ver com diferentes opiniões, mas sim com as criancices que surgem de vez em quando. Uma identificação obrigatória e associada ao email, como existe em muitos jornais online induz um tipo de comentários totalmente diferente. Para não falar dos sistemas de pontuação de comentários que seria um pouco exagerado neste contexto. Sobre o lado técnico, com base no que vejo, vocês não terão qualquer dificuldade em ultrapassar o desafio. Quanto ao tempo que isso exige, penso que se contabilizamos o tempo gasto a rebater comentários parvos quer por vocês quer por nós, a balança pende inequivocamente...

Anónimo disse...

«identificação obrigatória e associada ao email, como existe em muitos jornais»
Pois, mas esses «jornais» ou já mudaram a política de comentários ou ninguém comenta.
O que se está a usar agora é a moderação mediante denuncia.

Ana disse...

JT, se tivéssemos essa opção (indicação obrigatória de endereço de correio eletrónico por parte de quem quer publicar um comentário), já a teríamos introduzido. O Blogger não a tem. Podemos é restringir a possibilidade de publicar comentários a quem tenha conta na Google, mas duvido que alguém abra uma conta na Google só para inserir aqui um comentário. Mas é uma opção que estamos a considerar.

"Anónimo" das 10:04 (o autor das mensagens que tivemos de eliminar esta semana), acredito que a si lhe dê mais jeito assim...

Anónimo disse...

O jeito que me dá e o «mais-ou-menos»...

Anónimo disse...

"JT, se tivéssemos essa opção (indicação obrigatória de endereço de correio eletrónico por parte de quem quer publicar um comentário), já a teríamos introduzido. "

Não percebo o que é que isso resolveria, dado que ninguém é obrigado a dar um endereço válido, é só meter umas letras avulsas, uma arroba e outra letras avulsas e já está.
Eu sempre que me pedem um endereço de e-mail nos comentários de um blogue (por exemplo os blogues do sapo.pt fazem isso) dou um endereço falso, era o que mais me faltava andar a dar o meu e-mail assim a qualquer um. Já recebo spam que chegue.

Quanto à possibilidade de se restringir os comentários a pessoas com conta Google aí já concordo. Pela experiência que tenho no mundo dos blogues, quer como leitor quer como blogger, já deu para ver em muitos casos que a simples activação dessa opção aumenta exponencialmente a qualidade dos comentários.
Perdem-se alguns comentadores? Certamente, mas o Público também perde muitos leitores por não ser um tablóide como o Correio da Manhã e vocês também perdem muitos leitores por fazerem um blogue sério em vez de fazerem um de mulheres nuas. É uma opção que se toma para aumentar a qualidade da experiência que oferecem aos vossos leitores.

Anónimo disse...

Eu acho que as meninas poderiam continuar o blog tal como está, mas alternar com post de «mulheres nuas» (e de bola, como fizeram em tempos...bons tempos)!