Almofada de caroços de cereja


Comidas as cerejas, que utilidade podem ter os caroços?

2007. José Miguel Amorim, 42 anos, no desemprego, viu os seus dois filhos pequenos a brincar com uma almofada de caroços de cereja feita pela sua avó e teve a ideia arriscadíssima de comercializar este produto de que quase ninguém tinha ouvido falar.

2009. Dois anos depois, a almofada de caroços de cereja Ricoxete (a marca que José Amorim criou) é já um sucesso.

Mas para que é que serve uma almofada de caroços de cereja?

A madeira da cerejeira tem propriedades que ajudam a absorver a humidade, e a humidade dos caroços da cereja facilita a retenção de calor. Inicialmente, José Amorim imaginou as almofadas para substituir os sacos de água quente: bastaria aquecê-las durante cerca de 2 minutos no microondas. Recentemente, José Amorim veio a descobrir um livrinho da Roche, editado nos anos 30 do século passado, de promoção de um produto para ajudar a dormir, em que era feita uma referência às almofadas de caroços de cereja, então usadas no campo, que eram aquecidas na lareira e tinham precisamente essa função:

(clicar para ampliar)

Tendo sido essa a ideia inicial de José Amorim, a surpresa veio depois. Hoje, as almofadas são recomendadas para termoterapia. São aconselhadas por médicos, fisioterapeutas e osteopatas. Serviços de spa (como o do Hotel Penha Longa, em Sintra) utilizam-nas em massagens. O seu uso é aconselhado para todas as idades e entre os seus benefícios incluem-se o alívio de dores musculares, de dores de cabeça, de cólicas infantis, o relaxamento muscular e o simples relaxamento. As almofadas são agradáveis de manusear, adaptam-se a qualquer parte do corpo, produzem um som relaxante e emanam um suave odor doce.

A sua utilização é simples e rápida: basta aquecer a almofada durante 1 a 2 minutos no microondas. Aquecer os pés num serão frio de inverno é uma das maravilhas que esta almofada faz.

A almofada de caroços de cereja é um produto 100% natural, biológico, biodegradável, reciclável, hipoalergénico e pode durar uma vida inteira.

O processo de produção é muito simples. Os caroços de cereja são lavados, só com água, e secos ao sol (pelos reclusos do Estabelecimento Prisional de Sintra). As almofadas são manufacturadas, à mão, com algodão natural, pelas reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires. Cada almofada leva cerca de mil e quinhentos caroços (infelizmente, apesar da abundante produção de cereja em Portugal, José Amorim não conseguiu arranjar caroços de cereja na nossa terrinha).

Já ouvimos criticar o facto de na produção das almofadas ser utilizado trabalho (remunerado) de reclusos, quando existem tantos desempregados em Portugal. A verdade, porém, é que estamos a falar de reinserção social, que não é importante apenas para o futuro dos reclusos: é importante para todos nós...

(clicar para ampliar)

Terminada a produção, as almofadas são metidas numa bonita caixa, desenhada pelo próprio José Amorim (que já foi desenhador gráfico em jornais como o Público):


Dentro da caixa, além de algumas recomendações de uso, vem um bonito texto de Maria Amorim, a filha de José Amorim, hoje com 11 anos, intitulado O Jardim das Cerejeiras.

Pequena reportagem emitida no Biosfera há cerca de dois anos, sobre estas almofadas:


Fontes: sítio da Ricoxete e... experiência pessoal

14 comentários:

Miguel disse...

E aonde se compra isto?! (e já agora quanto custa...)
É que eu o ano passado comprei uma botija de água quente na Natura (aquela do urso à porta, acho que é assim que se chama) com um gel dentro que se aquecia no micro-ondas, meti-a lá dentro pra aí 2 minutos e aquilo começou a deitar gel por todo o lado, fui trocá-la (a muito custo diga-se, são todos muitos simpáticos e sorridentes quando é para vender, mas quando é para resolver problemas ficam com umas trombas...) pois pensava que estava estragada, meti a nova uns 30 segundos e puff, mais gel espalhado pelo micro-ondas... (essa já não fui trocar)
Por isso uma coisa destas vinha mesmo a calhar...

SRT disse...

Sim, onde é que se compra?

Mafalda Santana disse...

Boa! E onde é que se compra? E substitui mesmo a botija de água quente?

Filipa disse...

Boa ideia para uma prenda de Natal! Isto só se vende pela net? Descobri hoje este blogue. Tem tanta coisa interessante só nesta página inicial...

Joana disse...

As almofadas custam cerca de 25 euros e só se vendem através de pedido feito para o endereço de correio electrónico / telemóvel indicados no sítio da Ricoxete (a ligação para o sítio está nas "fontes" deste artigo). São enviadas pelo correio.

Tenho duas almofadas há mais de um ano e, curiosamente, nunca as utilizei na cama, portanto não posso dizer se substituem ou não na perfeição uma vulgar botija de água quente, na cama, durante a noite (calculo que sim). Utilizo-as muitas vezes para aquecer os pés, as mãos ou as pernas, por exemplo. No alívio de dores musculares ou para relaxamento muscular, também são muito boas. E um dia deixei dois amigos embasbacados quando utilizei a almofada para, com êxito, acalmar as cólicas do bebé filho deles que não parava de chorar.

Há também quem utilize estas almofadas em substituição do gelo, colocando-as no congelador (o gelo derrete depressa, os caroços conservam o frio durante muito tempo...).

Quem compra esta almofada passa também, como "bónus", a ser brindado(a), de tempos a tempos, com algumas mensagens do José Miguel Amorim, como esta:

"Olá,
Vem aí o frio. O que é normal. Ainda bem. Faz parte.
E nós ainda aqui andamos :-)
E mais uma curiosidade para ver em anexo.
O projecto RICOXETE continua, essa é que é essa!
E se gostas deste projecto faz o favor de o divulgar. Sem rodeios.
Não ganhas nada se o divulgares a dez amigos ou mais, é certo.
Mas se o fizeres também não perdes nada.
Obrigado e cuidado com a estrada que está muito escorregadia. Anda devagar. É mesmo a única solução.
Eu cá comprei um nariz de palhaço que me custou um euro e meio. Anda sempre comigo no carro. De cada vez que existe outro condutor que se põe com gestos ou sinais de luzes ou diz coisas que fazem corar a minha avó que até já morreu, coitada, eu coloco o nariz de espuma encarnado e sorri-o. Enquanto o ou a condutora fica para ali a pensar no que está a ver (um tipo com um nariz de palhaço?) eu sigo viagem. E acredita que me divirto à parva. Chamo-lhe o desbloquedor de transito. É giro. E resulta mesmo.
Enfim...
Zémiguel"

Ou o texto que vou colocar no comentário seguinte, tirado do blogue Transdisciplinaridade e Cidadania.

Joana disse...

"Olá amiguinhos,

O meu nome é Zé Miguel Amorim,

Pois bem. Eu há três meses pensei, pensei, pensei mesmo muito e enquanto estava a pensar no que havia de fazer da minha vida olhei para os meus filhos e percebi o quanto eles gostavam da almofada de caroços de cereja que a avó lhes tinha feito. Nessa altura também pensei "Se eles gostam... as pessoas também vão gostar...". Vai daí fiz 20.000. Não claro que não fiz todas. Fiz só duas ou três para experimentar como seria o melhor processo de fazer as outras 9.998 porque quem iria fazê-las seriam as senhoras que estão no Estabelecimento Prisional de Tires. Só que o caroço (10 toneladas) estava todo sujo. Como tinha de o limpar todo voltei a pensar e falei com o Estabelecimento Prisinal de Sintra onde estão os senhores. Lavei eu uns quilitos para saber qual seria o melhor processo e fiz um contrato com eles para me lavarem o resto dos caroços. Tem sido um trabalho muito interessante. É um mundo que eu desconhecia. Há dias apareci no programa da Julia, "As Tardes da Julia". Foi um enorme sucesso. Vejam lá que até me ligaram da produção passado uma semana a pedir o meu número do telemovel pois havia uma série de pessoas que estavam muito interessadas mas que não têm net ou não tiveram tempo de assentar. A cereja no topo do bolo é que os estabelecimentos prisionais também têm recebido as mesmas chamadas a pedir o meu contacto. E o palito por cima da cereja foi terem-me dito que já houve empresas que contactaram esses estabelecimentos para outro tipo de trabalhos. Sinto-me bem, compreenderão.

Enfim, com isto quero eu dizer que por ser um produto inovador, honesto, biologico, biodegradavel, economico, hipoalergenico, totalmente feito por pessoas portuguesas livres e menos livres. É otimo para substituir o saco de água quente e pasme-se também é otimo para termoterapia e a tudo o que a ela possa ter a ver. E dessa eu não estava à espera. Medicina Ayurvedica, Massagens, Osteopatia, Fisioterapia, Puericultura. Olhem que ainda hoje me ligou um senhor a dizer que quem usa a "almofada de Caroços de Cereja" não é ele mas sim a filha que tem quinze dias de vida, pois diz que ela se cala e fica toda satisfeita com o calor da almofada. Eu até me calei. Só lhe agradeci e dei-lhe os parabéns. Isto não é demais?

Hoje ofereci uma camisola feita por mim ao Carlos, um dos tais senhores que estão a lavar o meu caroço. Foi ele que me pediu. Nas costas diz: "O rei do Caroço". É uma risota pegada lá nos Estabelecimentos Prisionais. Ao principio foi estranho mas agora já sou conhecido lá pelo senhor do caroço. Guardas e tudo. O meu nome não sabem mas "senhor do Caroço" já pegou. É giro.

Se leram tudo agradeço-vos imenso. Se me quiserem ligar, agradecemos todos.

Muito amor
Zé Miguel"

oficina experimental de artes disse...

Achei esta idéia genial!
Parabens e boa sorte neste projeto e em outros que surgirão certamente. A historia é linda e envolvimento humano com detentos muito especial.
Belo exemplo.
Nadia Rezende - S.Paulo / Brasil

Anónimo disse...

Gostava de saber como posso comprar estas almofadas?

Sofia Graça
(sofiagraca09@gmail.com

Anónimo disse...

Minha senhora, aposto que viu o voce na tv. Leia o comentario da joana ali em cima e descobra. bjs espero ajudar cada almofade custa 25 euros e compram se atraves do endereço electronico da ricoxete.

maria disse...

Olá!
Comprei almofadas de caroços de cerej com o obectivo de oferecer. Mas decidi também experimentar. O saco onde os caroços estão introduzidos é de cor vermelha.
Quando decidi meter o saco no micro ondas ,borrifei-o com um pouco de água como é sugerido e ainda o introduzi dentro de uma outra bolsa branca. Ao retirá-lo, o saco branco ficou ligeiramente vermelho, não gostei pois significava que o tecido não era bom, mas mesmo assim continuei a usá-lo e asentir-me confortávél.Deixei de colocar o saco dentro do saco branco. Uma noite decidi colocá-lo diretamente sobre uma dor que tinha na perna e assim adormeci. Após alguns dias apareceu-me uma grande alergia no local onde foi aplicado o saco.
Não tenho dúvidas de que a alergia foi provocada pelo saco de caroços de cereja. A minha dúvida é se é do saco ou do caroço.
Alguém tem conhecimento de alergias provocadas por sacos de caroços de cereja?

TC disse...

Boa Tarde,
Ao ler este último comentário, feito pela Maria, tenho a dizer que as almofadas RICOXETE não têm qualquer forro, por isso de certeza que será outra marca. Aliás as almofadas ricoxete são hipoalergénicas ...

Olga disse...

Olá,

Alguém me pode dizer qual a medida das almofadas? Gostaria de comprar uma para encher um peluche que perdeu o enchimento e pensei que esta seria uma boa forma de lhe voltar a dar forma.

Obrigada

Olga disse...

Olá,

Alguém me pode dizer qual a medida destas almofadas?
Obrigada

Olga disse...

Olá,

Alguém me pode dizer qual a medida destas almofadas?

Obrigada