Informação em tempo real sobre a circulação ferroviária: a CP na pré-história do transporte ferroviário

I
Todas as manhãs ouvimos na rádio (e vemos na televisão) informações sobre o tráfego rodoviário, muito úteis para quem se desloca para o trabalho de automóvel. Em algumas estações de rádio, essas informações sucedem-se ao longo de todo o dia. Não haverá muita gente que já se tenha questionado a razão de não existir semelhante serviço informativo para os transportes públicos - para os comboios, por exemplo: um serviço que nos informe da supressão de comboios, dos atrasos em determinada linha, de avarias e interrupções de circulação, etc. E, no entanto, um tal serviço seria muito útil para os milhares de pessoas que diariamente se deslocam de transportes públicos...
Em França, por exemplo, existe uma estação de rádio ferroviária, lançada pela SNCF (congénere francesa da CP): a SNCF la Radio, que funciona também via internet ou telemóvel, desde as seis horas da manhã, com informação atualizada de sete em sete minutos. Os blocos noticiosos informam os utentes sobre o tráfego ferroviário, nomeadamente sobre as perturbações de circulação dos comboios em toda a França, região a região. Refira-se que antes da SNCF La Radio já existia uma estação de rádio semelhante para uma das linhas suburbanas de Paris.  

Na internet, há muito que informações deste tipo são disponibilizadas em França. Não só para outros transportes públicos (o metro de Paris, por exemplo, tem uma página na internet onde podemos, em tempo real, conhecer as eventuais perturbações na rede, o mesmo sucedendo com os comboios suburbanos e com os elétricos e autocarros), mas também para os comboios de toda a França, através do sítio InfoLignes (serviço SNCF Direct)que, em relação a qualquer região da França continental, nos informa, em tempo real, de qualquer atraso que exista em qualquer comboio: basta inserir no campo de pesquisa o número do comboio relativamente ao qual procuramos a informação. Ou podemos simplesmente pesquisar por estação, para obtermos a informação, em tempo real, de todos os comboios que vão partir / chegar. Como se estivéssemos na estação a olhar para o painel de partidas e chegadas.

SNCF Direct começou por ser uma aplicação descarregue num telemóvel, permitindo ao seu utilizador obter, em tempo real, as informações relativas à chegada e partida de comboios, incluindo eventuais atrasos; visualizar, no ecrã do telemóvel, a reprodução dos painéis eletrónicos de indicação de partidas e chegadas de cerca de 600 estações da rede ferroviária francesa: número de comboio, procedência ou destino, hora exacta de partida ou chegada, linha onde o comboio pára e indicação de eventuais atrasos; e obter informações de qual a estação mais próxima do local onde estamos, como chegar lá, que lojas e serviços existem na estação, horários de bilheteiras e de atendimento, disponibilidade de lugares no comboio, um alerta minutos antes da partida com a informação da linha de onde sai o comboio ou de eventuais atrasos, entre outras.

A informação em tempo real sobre a circulação de comboios também é prestada pelas transportadoras ferroviárias de outros países. E não é preciso ir mais longe: a transportadora ferroviária nacional espanhola, Renfe, também a presta (ver aqui).

Por cá, a CP continua a não prestar, na sua página da internet, quaisquer informações em tempo real. No sítio da CP consta unicamente a informação sobre as perturbações de interrupção previstas, como por exemplo que uma determinada linha está encerrada para obras do dia x ao dia y ou que entre o dia y e o dia z irá haver alteração de horários nessa linha ou simplesmente que, por virtude de obras ou greve, os comboios "poderão" circular com "perturbações" ou "atrasos", pedindo a CP "desculpas pelo incómodo".

E a omissão não é explicável por falta de meios técnicos. Na verdade, a REFER (a gestora da rede ferroviária portuguesa) dispõe deste tipo de informação. E não só dispõe dela, como a presta no seu sítio na internet. Incompreensivelmente, a informação não está numa página de fácil acesso, não surgindo em nenhum dos menus apresentados na página inicial do sítio da REFER (haverá vontade de a esconder?!). Mas ela existe e está aqui. Pouca gente saberá da sua existência. De resto, o comum dos passageiros nem a procuraria na REFER, mas sim na CP, a empresa que lhe presta o serviço de transporte.  

Deixemos, porém, as novas tecnologias: muitas vezes, nem na própria estação conseguimos ter acesso a informações atualizadas (com exceção das principais estações do país, com painéis informativos ou monitores - e mesmo nessas nem sempre...). Quem quer que utilize com frequência o comboio na nossa terrinha sabe que, por exemplo, a supressão de um comboio suburbano (situação excecional, felizmente) muitas vezes não é anunciada - quanto mais ser anunciado um simples atraso ou a linha de onde o comboio parte. 

Já nem se fala sequer da situação de quem está, por exemplo, na Linha de Cascais, pretende obter informação sobre os horários da única linha que faz ligação com essa (que não estão afixados) e na bilheteira lhe dizem para ligar para as informações da CP (caso relatado no blogue Menos Um Carro)! Há casos mais caricatos, como o de quem está em Lisboa, quer apanhar o comboio para a Póvoa de Santa Iria e: só consegue comprar o bilhete depois de ir a duas bilheteiras e a duas máquinas de vendas de bilhetes; os monitores disponíveis na estação não indicam o seu comboio nem a linha de onde parte; o comboio foi suprimido sem que fosse prestada qualquer informação nesse sentido; os monitores também não indicam o comboio seguinte e, para saber de que linha é que este parte, o passageiro telefona, em vão, para as informações da CP; à hora prevista para o comboio, os altifalantes anunciam a sua chegada noutra linha e só com uma corrida o passageiro consegue - no limite - apanhar o comboio e chegar à Póvoa a tempo de uma reunião. O relato está aqui

A CP não funciona sempre assim, obviamente, embora a falta de informação aos utentes seja demasiado frequente (e muito irritante). Algumas coisas melhoraram na CP nos últimos tempos (como a possibilidade de se comprar bilhetes no multibanco ou na internet, para alguns tipos de comboios). Mas em matéria de prestação de informação aos utentes, permanece na pré-história do transporte ferroviário.

P.S. A Fertagus (única empresa privada de transporte ferroviário de passageiros) também não presta, no seu sítio, informações em tempo real da circulação dos seus comboios.

Nota: este artigo baseia-se em artigo originariamente publicado neste blogue em Fevereiro de 2010. Passaram mais de cinco anos. Continua atual.
I

2 comentários:

Advisor disse...

Infelizmente A CP quer basicamente acabar com os comboios praticamente todos, excepto no eixo Braga - Porto - Lisboa - Faro, tudo o resto deve ser para acabar.

Alguém devia prender aquela gente toda isso e meter os maquinistas dos comboios todos a picar bilhetes ou parecido e meter os comboios automáticos, de forma a garantir a permanente circulação, mesmo com as greves recorrentes.

Quanto à informação seria ótimo tê-la, mas só é possível no site da Refer, e apesar de já ter descoberto por mim em tempos, a verdade é que no dia a dia também não me lembre que existe sequer.

João Pimentel Ferreira disse...

Também já me questionei sobre isso. Imagine-me a mim, a ouvir da Holanda a Antena 1 ou TSF e a ser informado diariamente sobre o trânsito na segunda circular!!! Mas presumo que uma grande parcela dos ouvintes esteja dentro de um automóvel.