Circular em cadeira de rodas em Oeiras (9)

I
RUA JOÃO DE DEUS
I
Na Rua João de Deus existem três passadeiras e, mais uma vez, nenhuma é acessível.
I
I
I
Em nenhuma das passadeiras o passeio se encontra rebaixado e a altura do lancil chega a atingir os 10 centímetros.
I
I
Também nesta rua encontramos carros estacionados em cima das passadeiras.
I
I
I
I
I
Como já foi possível perceber em algumas destas imagens, o estacionamento selvagem estende-se aos passeios: esta é uma rua inteiramente dominada pelo automóvel. Os passeios da Rua João de Deus têm uma largura que varia entre 1,8 metros e 1,9 metros. Postes, sinais de trânsito e contentores de lixo reduzem a sua largura útil, mas, ainda assim, deixam uma largura de passeio livre nunca inferior a 1,2 metros (embora em qualquer dos passeios não seja possível passar de um quarteirão para o seguinte, por causa da altura do lancil do passeio). Na prática, no entanto, todos os dias os passeios estão ocupados com estacionamento automóvel, inviabilizando a circulação de cadeiras de rodas (e, frequentemente, de todo o tipo de peões).
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
I
Passeio danificado, muito provavelmente pelo estacionamento de automóveis.
I
I
I
I
I
I
Conclusão: rua não acessível.
I
Mobilidade pedonal em geral: embora os passeios tenham uma largura livre de obstáculos minimamente decente, a circulação de peões está condicionada pelo estacionamento de carros em cima do passeio. Mais uma rua onde os passeios são para os carros. Todos os dias.
I
(continua)
I

5 comentários:

madeinlisboa disse...

Eu enviei para a autarquia os links. Recebi uma resposta padrão. Nem seuqer se deram ao trabalho de avaliar se eu sou do sexo masculino ou feminino:
"Exmo.(a). Senhor (a)

Acusamos e agradecemos o e-mail que V.Exª. apresentou nesta Câmara Municipal, tendo o seu conteúdo merecido a nossa melhor atenção.



Relativamente ao exposto na sua mensagem, temos a informar de que o assunto foi remetido para análise técnica, para que tão breve quanto possível seja providenciada uma solução de forma a sanar a situação apresentada.

Reiteramos, uma vez mais, os nossos agradecimentos pela sua comunicação, a qual ficou registada com o OR 325/2012/Divisão de Trânsito e Transportes"

Eu respondi:
"Caros senhores ou senhoras, vê-se perfeitamente que esta resposta é padrão e não personalizada, senão teriam-se dado ao trabalho de perceber se pelo nome sou do sexo masculino ou feminino e não teriam iniciado o texto com "Exmo.(a). Senhor (a)".

A CMO não está minimamente interessada em acabar com esta praga, inclusive é a própria a dar o exemplo, criando lugares de estacionamento em frente a uma passadeira, na própria autarquia.
Não compreendo que análise técnica é necessária quando o problema está à frente dos olhos em TODO o concelho. O estacionamento irregular é prática corrente, as passadeiras são meras pinturas e os (minúsculos) passeios um desconforto para a suspensão e pneus dos automóveis que os invadem diariamente com TOTAL cumplicidade de quem deveria punir este comportamento.

Não é necessária "análise técnica", apenas ordenarem aos elementos que são remunerados com os meus impostos, que punam estas situações. Garanto que os cofres da Câmara iriam crescer substancialmente. Mas os preciosos votos dos automobilistas estão em primeiro lugar, correto? Nada como colocar interesses à frente da segurança de quem circula a pé (por estranho que pareça, ainda existem pessoas que circulam a pé)..."

Catarina disse...

Obrigada, madeinlisboa. Depois de publicada a última parte deste trabalho, vamos enviar tudo à CMO, à Junta de Freguesia, à PSP... Nem nos passaria pela cabeça fazer este trabalho e não o enviarmos às autoridades responsáveis.

madeinlisboa disse...

A esquadra da PSP (junto à estação CP) fica 100 metros abaixo de um caos diário de estacionamento nos passeios, e com o conhecimento deles. Daria outro belo exemplo ainda para mais, se fosse coroado com uma foto (que eu tenho ;) de 6 polícias a beberem café e a conversarem no quiosque ao lado da estação. Aliás, acho que é a única coisa que fazem...

Joao disse...

Mais uma bela rua inacessível de Oeiras.
O grande problemas é que deve ser a policia municipal, e não a PSP a multar e a tratar dessas coisas, que a PSP deveria ser apenas e só para a prevenção e repressão da criminalidade.

bicicleta disse...

Madeinlisboa, João e Catarina, se quiserem ajudar a tentar mudar esta situação, contactem o passeiolivre.org.
Às autoras, novamente, o meu pedido de desculpas pela publicidade.